Início do conteúdo

25/08/2017

Agrotóxicos e saúde

por Alexandre Ressurreição

O programa Sala de Convidados do Canal Saúde abordou o tema Agrotóxicos e Saúde, discutindo o impacto do uso dos pesticidas na saúde da população. Além disso, o programa fez um alerta sobre as recentes propostas políticas brasileiras que, na contramão do que ocorre em outros países, pretendem ampliar a utilização destes produtos. Participaram do debate os pesquisadores Luiz Cláudio Meirelles da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Márcia Sarpa, do Instituto Nacional do Câncer (Inca) e Robson Barizon, da Empresa Brasileira de Pesquisa e Agropecuária (Embrapa).

 

Os números apresentados durante o programa são impactantes. Só nas últimas 4 décadas, houve um aumento de 700% no uso de pesticidas no Brasil. Mais de 1 bilhão de litros de agrotóxicos são utilizados a cada ano, tornando nosso país líder mundial no consumo destas substâncias. Cláudio Meirelles (Fiocruz) explicou que essa marca pode ser entendida em razão do modelo agrícola adotado no Brasil, baseado na mecanização intensa, no uso de fertilizantes e no uso de agrotóxicos. Meirelles também apontou que tanto o setor agrícola quanto a questão regulatória têm se encaminhado para o aumento cada vez mais expressivo desses produtos.

 

As controvérsias do uso de agrotóxicos não ficaram de fora do debate. A declaração de uma representante do próprio Ministério da Saúde, em seminário ocorrido na Câmara dos Deputados, que disse não haver dados suficientes sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde das pessoas, foi colocada em questão. Marcia Sarpa (Inca) rebateu esse posicionamento dizendo que instituições de pesquisa nacionais e internacionais vêm desenvolvendo estudos relacionados à exposição aos agrotóxicos e seus efeitos à saúde. A pesquisadora citou, como exemplo, uma monografia publicada há dois anos pela Agência Internacional de Pesquisa em Câncer, que identificou alguns agrotóxicos como agentes possivelmente carcinogênicos para os seres humanos. Dentre os pesticidas investigados, encontra-se o glifosato, agrotóxico mais utilizado no Brasil. Ela ainda ressaltou que os agrotóxicos  são responsáveis tanto por intoxicações agudas, causando náuseas, vômitos e dores abdominais, quanto crônicas, podendo originar um câncer.

 

Dentro desse contexto de uso de agrotóxicos e os danos à saúde, o debate também foi encaminhado para a necessidade de redução do uso dos pesticidas na produção de alimentos. Uma alternativa que é muito apresentada para substituir o cultivo à base de fertilizantes artificiais é a agroecologia. Robson Barizon (Embrapa) defendeu que quando se discute a redução do uso de agrotóxicos, seria mais interessante se propor a agricultura de base ecológica. O pesquisador esclareceu que a agroecologia e agricultura orgânica são modalidades da agricultura de base ecológica, uma agricultura que busca uma aproximação com princípios ecológicos, aumentando a biodiversidade e restabelecendo o equilíbrio do agroecossistema.

 

O programa, exibido na terça (15/08), pode ser conferido na íntegra clicando aqui.

 

Links relacionados:

 

Dossiê Abrasco

 

Vigilância em saúde de populações expostas a agrotóxicos

 

 

Voltar ao topoVoltar